sábado, 11 de setembro de 2010

Tomografia Cone Beam em odontologia

A Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico, também conhecida como Cone Beam, é um método de diagnóstico por imagem que utiliza Radiação X e permite obter a reprodução do complexo maxilo mandibular em qualquer um dos três planos do espaço.
O exame apresenta uma dose bem menor de radiação e seu custo é bem reduzido quando comparado as tomografias espirais ou Fan Beam.
A Tomografia Cone Beam ou feixe cônico, como também é conhecida tem sido o exame que mais tem crescido nas solicitações de auxilio ao diagnóstico dos dentistas. Ela oferece uma imagem volumétrica, possibilitando uma melhor visualização de altura, largura e profundidade em um mesmo exame.

Pensando em imagem digital é interesante discorrer sobre alguns aspectos fundamentais. Essencialmente essas imagens são  compostas por um arranjo matricial (linhas x colunas) que compoem as estruturas retangulares ou quadradas, denominadas Pixel (picture element). O pixel possui somente duas dimensões e é um elemento plano . Para criar o volume acrescentou-se mais um plano (y) que fornece a profundidade e convencionou-se chamar esse novo elemento de Voxels  (volume elements). Em uma analogia simples o pixel seria a face do dado e o voxel seria o cubo correspondente(1) (veja figura)


A implantodontia foi a uma das primeiras especialidades a utilizar os recursos da tomografia pois lhe possibilitava verificar tanto altura como largura de rebordo para o planejamento de implantes, enxertos etc, mas atualmente seus recursos são utilizados por praticamente todas as especialidade da odontologia trazendo para próximo do cirurgião dentista a possibilidade de visualizar mais do que uma periapical ou radiografia panorâmica pode lhe oferecer. Todas as especialidades foram beneficiadas com o advento a cone beam. Hoje fraturas, perfurações endodônticas, perdas ósseas, patologias do complexo maxilo mandibular, localização de terceiros molares e supranumerarios, são facilmente identificadas pelo equipamento. É possível até mesmo obtermos cortes frontais, laterais e axiais para cefalometria.

Com o advento da tomografia Cone Beam as maiores clínicas de radiologia dos grandes centros e até de cidades menores em todo o Brasil adequaram seus serviços e migraram seus equipamentos para tomógrafos cone beam, havendo até noticias sobre esta tecnologia em sites de noticias especializados em odontologia. (vide: Tomografia computadorizada:Radiologia odontológica ganha novos olhos ). Hoje ja existem serviços especializados somente em tomografia cone beam em algumas cidades do Brasil.

A vantagem da Tomografia Computadorizada cone Beam é a imagem volumétrica, sendo o feixe de Raios X em forma de cone, daí o nome Cone Beam. Enquanto na Tomografia médica ou fan Beam a aquisição é por planos na cone beam a aquisição é feita em um único volume que depois será processado na workstation que fará as reconstruções conforme seja solicitado pelo radiologista. Isto faz com que a dose de exposição ao paciente seja bem menor, similar a do exame periapical da boca toda (2).
A tomografia cone beam oferece a possibilidade de o dentista receber a imagem em diversos formatos, inclusive no formato DICOM (Digital Imaging and Communication in Medicine) que é um formato tecnológico global , cujo desenvolvimento iniciou-se em 1993 e foi designado para permitir a interoperalidade dos sistemas usados para a produção, armazenamento, visualização, processamento , envio e impressão de imagens médicas e documentos correlatos(3).
Programas específicos que são enviados pelas clinicas onde a imagem foi adquirida ou que podem até mesmo ser baixados na internet, permitem a reconstrução em múltiplos planos do volume adquirido possibilitando ver as imagens em normas axiais, coronais, sagitais e oblíquas, assim como a reconstrução em 3D. Os principais programas usados são o Icatvison, Implante Viewer, e o dental Slice.
Adicionalmente, o programa permite gerar imagens bidimensionais, réplicas das radiografias convencionais utilizadas na Odontologia como: a panorâmica, radiografia das ATMs e telerradiografias em norma lateral e frontal (4). O profissional pode manipular as imagens tridimensionais segundo sua conveniência e assim mostrar aos seus pacientes as imagens de maior interesse, podendo ser impressas e arquivadas no prontuário como parte da documentação.

Os dados digitais do paciente podem também ser enviados para prototipagem, obtendo-se um modelo da região escaneada em material resinoso.
Aplicação da Tomografia Computadorizada Feixe Cônico é muito abrangente, podendo ser usada em todas as áreas da Odontologia.(4)

Referências:
(1) CAVALCANTI, M; Tomgrafia computadorizada por feixe cônico. São Paulo. Santos. 2010
(2) HATCHER, D. C.; ABOUDARA, C. L. Diagnosis goes digital. Am J Orthod Dentofacial Orthop, St. Louis, v. 125, no. 4, p. 512-515, Apr. 2004.
(3) CAVALCANTI, M; Diagnóstico por Imagem da Face. São Paulo. Santos. 2008
(4) SCARFE, W. C.; FARMAN, A. G.; SUKOVIC, P. Clinical applications of cone-beam computed tomography in dental practice. J Can Dent Assoc, Ottawa, v. 72, no.1, p. 75-80, Feb. 2006.
 (5) Tomografia Computadorizada volumétrica ICAT - disponível em http://www.papaizassociados.com.br/site/servicos.asp . acesso em 11/09/2010
(6) Tomografia computadorizada:Radiologia odontológica ganha novos olhos disponivel em http://www.odontosites.com.br/odonto/default2.asp?s=noticias2.asp&id=627&titulo=Tomografia_computadorizada_Radiologia_odontologica_ganha_novos_olhos_ . Acesso em 11/09/2010
(7)AUGUSTO, L ; A Revolução do diagnóstico por imagem - Tomografias Odontológicas tipo ‘Cone Beam’ ; Disponivel em http://www.cetrobh.com/2010/08/revolucao-do-diagnostico-por-imagem.html acesso em 11/09/10

Literatura recomendada: Nos últimos dois anos foram lançados dois ótimos livros sobre a tomografia computadorizada e um especifico sobre a tecnologia cone beam:

Nenhum comentário:

Postar um comentário