terça-feira, 10 de abril de 2012

A morte do cisto globulomaxilar

Pessoal sinto informar, mas o cisto globulomaxilar, conforme aprendido em meus tempos de graduação e especialização, que tinha o formato de uma pera invertida na região entre lateral e canino superior, lembra? Pois é ele não existe mais.

"Como assim Bial?" Perguntaria você?

Bem segundo o Neville (Clique aqui para ver detalhes) por muito tempo o Cisto GlobuloMaxilar foi considerado um cisto fissural que se originava do epitelio aprisionado durante a fusão da porção globular do processo nasal mediano com o processo maxilar. Entretanto esse conceito tem sido questionadopor que a porção globular do processo nasal mediano esta primariamente unida ao processo maxilar, e não ocorre fusão, logo não há como se ter um cisto gerado através de um processo de fusão que não ocorreu. :)
Logo esse e demais cistos que ocorrem na região do Incisivo lateral e canino superior podem ser explicados com uma base odontogênica. Muitos são cistos periapicais e alguns exibem características histopatológicas esepecíficas de um Ceratocisto odontogênico.
Então é com muito pesar que lhes comunico:

O cisto globuloMaxilar Morreu!!!

sábado, 18 de setembro de 2010

O estágio atual da Radiografia panorâmica em odontologia

Marcos Antonio de Souza Rocha

Os primeiros estudos que culminaram na criação da radiografia panorâmica foram iniciados em 1922   por Zulauf – que desenvolveu um método para realizar a tomada radiográfica superior ou inferior. Aparelho denominado panorâmico. Em 1949 Irjo Veli Paatero estabeleceu  estudos e conceitos de pantomografia (registro de imagem nítida em superfície curva).
Os primeiros equipamentos de panorâmica chegaram ao Brasil na década de 70 e sua utilização  nos dias atuais em odontologia está se tornando algo rotineiro e indispensável na rotina clínica.
Esse exame permite  ao dentista visualizar a dentição inteira e estruturas relacionadas, de côndilo a côndilo, em um único filme.
A evolução da indicação deste tipo de exame, levou a um aumento significativo da demanda, o que estimulou a criação de centros de radiologia odontológica, primeiramente nas Capitais e com o passar do tempo em pequenas cidades Brasil afora. A ortodontia contribuiu enormemente para a difusão da radiografia panorâmica, devido a ela estar inclusa basicamente em todas as documentações ortodônticas. Depois veio a implantodontia, que nos primeiros tempos, na falta da teconologia hoje disponivel de tomografias, utilizava a radiografia panorâmica como norteadora para planejamento de procedimentos de colocação de implantes dentários.
A radiografia panorâmica tornou-se o exame auxiliar de diagnóstico mais solicitado pelos dentistas na atualidade.

sábado, 11 de setembro de 2010

Tomografia Cone Beam em odontologia

A Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico, também conhecida como Cone Beam, é um método de diagnóstico por imagem que utiliza Radiação X e permite obter a reprodução do complexo maxilo mandibular em qualquer um dos três planos do espaço.
O exame apresenta uma dose bem menor de radiação e seu custo é bem reduzido quando comparado as tomografias espirais ou Fan Beam.
A Tomografia Cone Beam ou feixe cônico, como também é conhecida tem sido o exame que mais tem crescido nas solicitações de auxilio ao diagnóstico dos dentistas. Ela oferece uma imagem volumétrica, possibilitando uma melhor visualização de altura, largura e profundidade em um mesmo exame.

Começando

Começar algo é sempre um desafio. Seja um blog, um curso, um relacionamento ou qualquer coisa nova.
Aqui vou tentar falar um pouco sobre radiologia em odontologia, novos recursos, velhos recursos, truques , macetes e tudo que vier a cabeça louca deste radiologista.
Abcs
marcos